Bem-vindo ao blog Thash Recyclable

Bem-vindo ao blog Thash Recyclable
Blog Pessoal

domingo, 30 de dezembro de 2012

A Vida e a Morte


Não tem como não reconhecer a linha tênue, entre esses dois mistérios. 
No caminho do cortejo, o estado de solitude me tomou - quem me dera se tivesse apenas me tomado.. ele me invadiu, sem me preparar. O clima era denso, tanto no seu sentido abstrato quando em seu sentido físico. Parecia uma eternidade, minutos, segundos.. intermináveis. Na mente, mil coisas passavam-se, centenas de perguntas criavam-se.. não, não somente pelo presente acontecido, mas decorrente da soma de fatores de anos, mas principalmente do ano de 2012 - o ano apresentado a mim em forma de conquistas, descobertas, decepções, alegrias, encontros, reencontros, pesares, dores silenciosas, gritantes, frenéticas e intermináveis. Aahh... quantos sentimentos, positivos e negativos contidos cá dentro, acumulados e amenizados por mim a cada novo dia que se seguiu, ilusoriamente amenizados. Entretanto, naquele momento a realidade me tomou, acordei pra vida.. mas ora? Eu já estava acordada, minha vida até aquele momento foi viver a realidade de viver. Então, de que forma eu acordara? Simples.. acordei com outros olhos, olhei de uma outra perspectiva tudo, mais nua e crua.. sem maquiagem ou efeito criado por mim mesma. Olhei em volta e um olhar acolhedor não tinha, um abraço ou compreensão de tudo o que eu estava sentindo. Havia culpa, havia angústia, pesar, dúvida, desamparo.. mas o que sempre me acompanhou, sempre, não tinha.. a esperança. Um olhar positivo em meio a tudo, naquele momento a esperança se transformara e direcionava-se para outros enfoques, se perdendo entre os que eu mais queria.
Por fim, aquele dia acabou. Aquele clima ficou mais leve e a minha alma pode respirar com mais tranquilidade, pois me lembrei do rosto dele, de tranquilidade no momento do adeus, dentro daquele lugar. Sua lição ele havia deixado, seus princípios, valores.. tudo, foi repassado com sucesso. Contudo, agradeço pelo estado de solitude que ele, entre outras coisas e pessoas me fizeram vivenciar, onde até agora, está me acompanhando.
Vida e morte.. em um, um ciclo de mistérios e descobertas se abre, no outro, ele se fecha. Não creio que exista um contador imaginário em cima de nossas cabeças, pré-determinando um dia e hora exata de morrer, somos senhores de nossas escolhas e responsáveis por elas, em alguns momentos não existem escolhas, apenas fatos imprevisíveis. Portanto, devemos deixar as pessoas que amamos sempre que possível, com belas palavras, de verdadeiros sentimentos.. não perdendo tempo com mágoas, claro, não deixando de valorizar e entender a dor de cada um, se ela existir, para que então venhamos nos curar a tempo, antes que seja tarde demais.


Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Deixe sua opnião sobre o texto aqui ! :)